Raízes do Sentir Pedagogia Terapêutica

Aprendizagem vs Sentir

” Sendo a aprendizagem um encontro cheio de descobertas fantásticas onde vivemos em busca da harmonia e prazer de conhecer, só existe um caminho e um processo que nos traz a única fórmula mágica de APRENDER: a Educação dos SENTIDOS.

O Sentir como a ferramenta da Aprendizagem enquanto vivência básica na relação com o Mundo exterior e o EU interior.

  E qual seria a tarefa da educação senão levar-nos a aprender a amar, a sonhar, a fazer os nossos próprios caminhos, a descobrir novas formas de ver, ouvir, sentir, de perceber, a ousar pensar diferente… a sermos cada vez mais nós mesmos, aceitando o desafio do novo?    

                                                                    Rubem Alves

FB_IMG_1463460994179.jpg

“ Uma Pedagogia dos Sentidos centrada numa educação de base terapêutica de apoio à Comunidade, em que a pedagogia surge como a terapia para o acompanhamento individual ou em grupo, estruturando assim um caminho que se traduz na relação entre o pedagogo e a criança (ajudando a libertar medos, vencer o stress, tratar depressões, problemas respiratórios, falta de atenção. Melhora o desempenho escolar, ao nível da dislexia, concentração, auto-estima, criatividade, entre outros).

  A relação pedagógica incide numa cumplicidade e sintonia, apelando à sensibilidade e experiência de cada um, sustentando e apoiando todo o percurso.    

  Tendo em conta as diferentes situações específicas poderá haver um acompanhamento pedagógico levando a criança a expressar sentimentos, emoções e sobretudo a capacidade de fantasiar e criar, permitindo o desenvolvimento integral da criança.

   A liberdade de expressão artística é uma escola onde a confiança pode ser incentivada e onde cada criação é um processo que conduz à harmonia, trazendo forma, estrutura, dissolvendo a rigidez, iluminando e trazendo fantasia na mente, por vezes, bloqueada e contida. Assim permite incutir a autoconfiança e auto-estima e desenvolver uma mudança positiva na apreciação do mundo e de si próprio, tornando-se um veículo de expressão para as emoções e bloqueios, a caminho de um melhor equilíbrio e auto-conhecimento.

A expressão artística nas crianças e Jovens é uma linguagem que, em ambiente educativo, se revela como um meio de expressão e de integração de uma aprendizagem aberta e significativa, onde o conhecimento surge de forma livre e projectiva, actuando livre e espontâneamente.

  A livre expressividade permite vivenciar uma actividade de realização pessoal e de descoberta de si próprio, assim como uma maior liberdade de expressão emocional respeitando a individualidade e os interesses espontâneos da criança, a par do seu desenvolvimento e maturação individual; tornando-se consequentemente uma base sólida para as aquisições do conhecimento.

Seguindo uma metodologia de acção/reflexão é possível experienciar diversas formas de expressão como meio para ajudar cada criança a descobrir capacidades e competências que por vezes lhes são desconhecidas.

Investir na criatividade como recurso fundamental, fornecendo-lhe mais instrumentos que actuem na criança como uma ferramentas que lhe permitam (re)inventar o que a rodeia e a si própria.

Olhar e acolher a criança e/ou jovem como um todo, tentando proporcionar-lhe um espaço de segurança, para que possa aprender o que se passa à sua volta e reorganizar-se do ponto de vista individual e colectivo.

 Procuro despir-me do que aprendi,20141012_122350

Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram,

E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,

Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras,

Desembrulhar-me e ser eu…

Alberto Caeiro

 

 

Anúncios